20 de set de 2009

DÁ PRA VIVER UM DIA SEM COMER CARNE? SIM, É ESTA A PROPOSTA DA "SEGUNDA SEM CARNE"

Cidadania, meio ambiente e inclusão

Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente e Sociedade Vegetariana lançam campanha nos dias 3 e 4 de outubro, no Parque do Ibirapuera



"Descubra novos sabores. Pelas pessoas. Pelos animais. Pelo planeta". Este é o mote da campanha Segunda Sem Carne, que será lançada pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) a partir de 3 de outubro. O objetivo é incentivar as pessoas a deixar de comer carne ao menos uma vez por semana, com inúmeros benefícios à saúde e ao planeta.


Pelas pessoas - benefícios à sua saúde


"Uma dieta sem carne diminiu em 30% a chance de desenvolver doenças coronarianas, em até 50% o risco de apresentar diabetes e em mais de 80% a incidência de câncer de cólon.1"


Prevenir doenças crônicas degenerativas como doenças cardiovasculares, hipertensão arterial, colesterol elevado, diversos tipos de câncer e diabetes - estes são apenas alguns dos diversos benefícios à saúde de quem reduz o consumo de carne, de acordo com a SVB.

Não leve a sério a conversa daquele médico alopata, careta e idiota, afirmando que comer carne é "fundamental". Isso é mentira pura!!! Adotando uma dieta equilibrada, há inúmeros substitutos para a carne - desde grãos como ervilha, lentilha e grão-de-bico, até a proteína de soja, muito nutritiva e saborosa (leia COMO PREPARAR PROTEÍNA DE SOJA)

Ok, você não se convenceu sobre os benefícios de reduzir o consumo de carne? Quer mais motivos? Então, confira resultados de estudos científicos divulgados pela American Dietetic Association e nutrionistas do Canadá:
- Redução das mortes por infarto (doença cardíaca isquêmica) em 31% em homens vegetarianos e 20% em mulheres vegetarianas (estudo com 76 mil indivíduos).
- Comparando a mortalidade por doenças cardíacas entre vegetarianos e semivegetarianos (no estudo considerado como consumidor de peixe ou carne 1 vez por semana), a mortalidade também é menor em vegetarianos.
- Níveis sangüíneos de colesterol 14% mais baixos em ovo-lacto-vegetarianos do que nos comedores de carne.
- Níveis sangüíneos de colesterol 35% mais baixos em veganos do que nos comedores de carne.
- Menor pressão arterial (redução de 5 a 10 mmHg) nos vegetarianos.
- Redução de até 50% do risco de apresentar diverticulite nos vegetarianos.
- Redução de até 50% do risco de apresentar diabetes nos vegetarianos.
- Probabilidade duas vezes menor de apresentar pedras na vesícula nas mulheres vegetarianas (estudo com 800 mulheres entre 40 e 69 anos).
- Os não vegetarianos têm um risco 54% maior de ter câncer de próstata.
- Os não vegetarianos têm um risco 88 % maior de ter câncer de intestino grosso (cólon e reto). Obs - a carne vermelha ou branca está vinculada (de forma independente) com o risco aumentado de câncer de intestino grosso.
- Redução da incidência de obesidade, um problema mundialmente preocupante.
- Osteoporose: mulheres após a menopausa com dieta rica em proteína animal e pobre em proteína vegetal têm taxa mais alta de perda óssea e risco muito maior de ter fratura de quadril. Obs- Ainda não podemos afirmar que a dieta vegetariana protege da osteoporose.
- Pelo menor teor de proteínas e por melhorar os lipídios sangüíneos, a dieta vegetariana pode ser benéfica para os que sofrem de doença renal (principalmente os que não fazem diálise e apresentam diurese).
- Aparentemente, o consumo de carne aumenta em até 3 vezes as chances de desenvolver demência cerebral.
- Aparentemente, uma dieta vegetariana sem derivados animais e com predominância de alimentos crus reduz os sintomas de fibromialgia.

1. American Dietetic Association (ADA)


Pelos animais
"A alimentação sem carne é uma forma de praticar a não-violência"

Todos sabem o quanto a criação de animais para abate é extramamente cruel - do início da vida de um pobre bezerro (que cresce completamente afastado da mãe) até o momento final no matadouro, é só crueldade, tortura e privação.

Porcos, frangos, bois e outros animais são criados em locais fechados, recebem hormônios e remédios que também fazem mal à nossa saúde, entre outros males que bem "embutidos" na carne que você consome.

Por isso, realmente não dá pra ser adepto ou falar de uma "cultura de paz" se, comendo seu bife, você contribui para tortura e morte de milhares de animais.

Pelo planeta
Pecuária é responsável por 80% do desmatamento no bioma amazônico

Vejam esses dados do site da Sociedade Vegetariana Brasileira:
- A indústria de carne é responsável por 18% das emissões globais de gases causadores do efeito estufa, ao passo que todos os transportes somados geram 13%.(1).
- A pecurária gera diretamente 80% do desmatamento no bioma amazônico (2) e 14% em todo o mundo.
- Somos quase 7 bilhões de pessoas na Terra e criamos, para produzir carne, mais de 30 bilhões de animais (3) que consomem água, comida e recursos energéticos, demandam espaço, despejam detritos, contaminam os mananciais, causam erosão e geram poluição atmosférica.
- A criação de animais para abate é uma forma ineficiente de produzir alimentos: para cada quilo de proteína animal são necessários de 3 a 10 kg de proteína vegetal (milho, soja etc.) (4).

1- FAO (2009)
2- Ministério da Agricultura
3 - Incluindo aves, peixes, camarões e moluscos
4 - FAO (2005)

Outras questões sociais
"Estudos recentes mostram que, no Brasil, 62% dos trabalhadores em situação análoga à escravidão se encontram em fazendas de pecuária.(1) O setor apresenta cifras semelhantes em relação à grilagem de terras (57%) e à violência no campo (72%). (2)

Mais da metade da produção mundial de alimentos é destinada à ração para animais de abate. (3). E a carne desses animais é acessível a uma pequena parcela da população humana. Se o consumo de carne fosse abolido, e as safras de grãos e hortaliças antes destinadas aos animais fossem repassadas para as pessoas, o problema da fome mundial estaria solucionado, a preços mais baixos e com menos impacto ambiental, social e para a saúde humana", informa a SVB.

(1) ONG Repórter Brasil
(2) Comissão Pastoral da Terra
(3) FAO (2006)

Que tal mudar o cardápio, descobrir novos sabores, em casa ou em algum restaurante vegetariano? Veja nossas dicas:

Saiba mais:
Sociedade Vegeriana Brasileira (SVB)
Guia de restaurantes vegetarianos em São Paulo

Sites com receitas vegetarianas
Centro Vegetariano
Guia Vegano
Portal Natural
Receitas Vegetarianas da Igreja Adventista do Sétimo Dia
Saúde Integral
Sociedade Vegetariana Brasileira
Vida Vegetariana

Outras informações da Sociedade Vegetariana Brasileira:
O vegetarismo e sua saúde
Ferro e vegetarianismo
Cálcio e vegetarianismo
Uso de suplementos nutricionais na dieta vegetariana

Leia também:
COMO PREPARAR PROTEÍNA DE SOJA

Textos: Flaviana Serafim e Gladstone Barreto, com informações da SVB. Infográficos: Sociedade Vegetariana Brasileira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva seu comentário abaixo e clique em "Nome" no Perfil (não é necessário colocar a URL).