24 de mai de 2009

HISTÓRIAS DE ONTEM E HOJE NA RUA MARIA ANTONIA

São Paulo lado A,B,C,D…

Numa rua pequena, grandes acontecimentos

Mais fotos no Flickr

Fotos da “batalha” na rua Maria Antonia em outubro de 1968,
registradas por Hiroto Yoshioka (acervo do Centro Universitário Maria Antonia)

Clique para ampliar Clique para ampliar Clique para ampliar

Os dois lados da rua se revezavam em ataques e contra-ataques. Era só uma turma dar alguns passos para trás para o outro grupo assumir uma postura mais agressiva. Ofensiva. Eram ondas de fúria e valentia. Quase uma briga com coreografias. Quando a Filosofia parava para tomar fôlego e se reabastecer de pedras, o Mackenzie vinha para cima com tudo o que estivesse à mão. (…) No chão, centenas de pedras e fragmentos de tijolos. Uma nuvem espessa de poeira cobriu o quarteirão. Havia fumaça em toda a a extensão da Maria Antonia. Era guerra”.

O trecho assim está no livro “Maria Antonia, a história de uma guerra”, do jornalista Gilberto Amendola, e é uma boa descrição do conflito travado nessa rua há mais de 40 anos – especificamente em 1968 - entre estudantes do Mackenzie , à direita – e que estudantes de Filosofia da Universidade de São Paulo, à esquerda. Aqui, direita e esquerda realmente não definem só os lados de uma via, mas as crenças de uma época onde não havia espaço para ficar “em cima do muro”.

Centro Universitário Maria Antonia. Foto de Gladstone Barreto. Clique para ampliar O estrago na então faculdade de Filosofia da USP foi tão grande que o prédio ficou fechado e só muitos anos depois foi reformado, dando lugar ao atual Centro Universitário Maria Antonia. Um estudante também foi morto, era o jovem, José Guimarães, de apenas 20 anos, estudante do 3º colegial da escola Maria Cintra.

Nessa “guerra” da rua paulistana em pleno 1968, personagens como o escritor Mario Prata, o pintor Claudio Tozzi, o ex-ministra do Casa Civil, José Dirceu, e a dramaturga Consuelo de Castro, entre outros. Personagens de uma geração inquieta, que lutou contra a ditadura e fez história no país.

Hoje, os tempos são outros, o Brasil mudou e a ditadura – ainda bem! se foi. Aquela rebeldia já não é mais necessária (será?), mas a rua Maria Antonia continua cheia de estudantes e com muita história pra contar.

Fotos da Rua Maria Antonia em maio de 2009

Rua Maria Antonia em 2009. Foto de Gladstone Barreto. Clique para ampliarRua Maria Antonia em 2009. Foto de Gladstone Barreto. Clique para ampliar Rua Maria Antonia em 2009. Foto de Gladstone Barreto. Clique para ampliar

Saiba imagemais:
site oficial do Centro Cultural Maria Antonia
Livros: 
“Maria Antonia – a história de uma guerra”, de Gilberto Amendola. Editora Letras do Brasil, 2008
”Maria Antonia: uma rua na contramão”, organizado por Maria Cecilia Loschiavo dos Santos. Editora Nobel, 1988

Texto/fotos: Flaviana Serafim e Gladstone Barreto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva seu comentário abaixo e clique em "Nome" no Perfil (não é necessário colocar a URL).