17 de ago de 2009

A VACINA CONTRA RAIVA, O FUNCIONÁRIO PÚBLICO E O “CAFEZINHO”

SOS São Paulo – A cidade em nossas mãos

Após vacina contra raiva, funcionário da Coordenação de Vigilância Sanitária (COVISA) pede pagamento de “cafezinho” pelo serviço. A vacinação é gratuita…mas o “cafezinho” do funcionário público não…

Neste sábado, fui surpreendida por um outro tipo de roubo que acontece no Brasil – o institucionalizado. Após levar meu gato para receber vacina contra raiva no pSalomão, o gato preto do blog São Paulo Urgenteosto do Largo do Arouche, fui surpreendida por um funcionário da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (COVISA) pedindo dinheiro para um “cafezinho” logo após a vacinação.

Eu e o Gladstone ficamos constrangidos e entregamos R$ 1,00 ao vacinador. A vacinação é gratuita e isso estava até escrito num guarda sol usado pelos agentes da COVISA.  O funcionário pegou o dinheiro e levou para uma caixa de sapatos onde já havia inúmeros pagamentos de “cafezinhos” por outros cidadãos. Tantos outros trouxas como nós…

Sinceramente, este mísero R$ 1,00 não fará qualquer diferença na minha vida. Mas achei muita cara de pau a desse funcionário público da COVISA, pago com o dinheiro dos paulistanos – e ainda ganhando hora extra no sabadão!

Quantos “cafezinhos” foram arrecadados num único dia…
Pode não ser ilegal, mas certamente não é correto. Eis o grande dilema do Brasil, há tempos (talvez 500 anos), em todas as esferas – do presidente do Senado, José Sarney, ao cara que dá vacina contra raiva num mero gato preto: “Não é ilegal, mas é moral?”. 

O pior é que a cobrança não era feita por um só funcionário, mas estava devidamente organizada por um grupo – todos usando coletes e bonés da COVISA. Havia um homem e quatro mulheres se revezando na vacinação e todos faziam o pedido do tal “cafezinho”. A cara de pau era tamanha que eles sequer tinham preocupação em esconder a caixa de sapatos onde guardavam o dinheiro arrecadado.

Centenas de cidadãos levaram seus cães e gatos para vacinação no Largo do Arouche e também foram impelidos a pagar o tal “cafezinho”. Então, dá pra imaginar quantos “cafezinhos”, esses funcionários da COVISA tomaram no fim do dia? No mínimo, dividiram uns R$ 500,00. Quanto “café”, não acham?

Campanha de vacinação contra raiva da COVISA. Clique para acessar o site. “O bicho vai pegar, hein?”
O pessoal do telefone 156 não registra esse tipo de queixa e fui orientada a ligar para a Ouvidoria da  Prefeitura. A atendente garantiu que a Ouvidoria funcionava no sábado, mas não - só nos dias úteis. Então, pensei, pensei, pensei e resolvi voltar ao Largo do Arouche para pedir meu R$ 1,00 de volta.

Eis que, ao pedir a devolução do meu dinheirinho, uma das funcionárias da COVISA, desdenhando, disse que não precisava daquele dinheiro e que eu não era obrigada a pagar. Então, perguntei: “Se você não precisa desse dinheiro, então por que está cobrando? Você e seus colegas são pagos pelos cidadãos de São Paulo e não têm direito de pedir ‘cafezinho’ algum... Quando a senhora leva seu filho para vacinar, alguém pede esse tipo de ‘cafezinho’? O policial militar também pode pedir ‘cafezinho” por aí?”

Quando eu estava indo embora, após a devolução de meu dinheiro, um outro rapaz, usando uniforme cinza, disse em tom ameaçador: “O bicho vai pegar, hein? Se você fosse ao veterinário, teria que pagar R$ 50,00”. E eu confirmei, que o bicho ia pegar, sim – para ele e seus colegas da COVISA. Nesta segundona, lá vai telefonema e e-mail para a Ouvidoria da Prefeitura, para a COVISA e quem mais for necessário.

Seria tão bom se existisse vacina contra raiva, ira, ódio e similares, para nós, mamíferos, bípedes, inteligentes, racionais e formadores de cultura… Que bom seria!

Ah, para quem tiver alguma queixa do tipo, o telefone da Ouvidoria da Prefeitura é: 0800-175717, mas só funciona de 2ª a 6ª feira, das 9h00 às 17h00.

Acesse o site da Coordenadoria de Vigilância em Saúde

Leia também:
”CAFEZINHO” DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS POR TODA A CIDADE – VALE ATÉ “CAIXINHA PRÉ-DATADA”

Texto e foto do gato salomão: Flaviana Serafim

5 comentários:

  1. Maria lucia Mendonça17 de agosto de 2009 08:41

    Que vergonha... mais uma desta imensa sucupira...

    ResponderExcluir
  2. Lucio Trama Borsolatto17 de agosto de 2009 15:22

    Isto é mal de funcionário público, a maioria é pidão. Sempre um favorzinho aqui um dinherinho alí. No pais todo é assim Falou Brasil!!!

    ResponderExcluir
  3. Diante dos comentarios da cronica da semana passada, eu ia escrever sobre o "jeitinho brasileiro", suas mazelas e piadas, mas nao precisa. A realidade da vacina gato me superou e fiquei boquiaberto.
    Ouco falar na proxima potencia diante dos grandes do hemisferio norte. Das nossas divisas, das multinacionais brasileiras, do superavit da balanca comercial. Vitorias do Real, uau!
    Mas diga ai, senhoras e senhores, o buraco eh mais embaixo. Eh o buraco do poco do elevador de social e de servicos.
    A vida, se imitada, nao eh mais arte, eh documentario.
    A Belindia entre a Paulista e a Paulista mesmo.

    Sucupira, sim senhor!

    Besos!

    ResponderExcluir
  4. verdade, todo ano passo pelo mesmo constrangimento.
    praticamente imposto o cafezinho, se não dou passo por miserável. funcionario publico quer nosso dinheiro em salario e em cafe.

    ResponderExcluir
  5. Concordo com a denuncia feita sobre a caixinha na vacinação. O modo de abordagem do funcionário não é correta,afinal ele é pago para prestar esse serviço a população.
    Esse serviço é gratuito e nenhum funcionário deve receber nada em troca para realizar sua função.
    Mas o que me pertubou nessa denuncia, foi a maneira que essa pessoa está tratando e avaliando a situação.
    Não estou dizendo que ela está errada, mas gostaria de saber se ela estaria disposta a brigar por tudo que existe de errado no poder publico.
    Que por sinal é do alto que se ROUBA de verdade e são milhares de reais, que saem do nosso bolso, sem nos pedir.
    Eu sou uma cidadã que classe baixa e sei como é dificíl esse tipo de trabalho. Os funcionários não só trabalhão um "Sabadão" a mais e sim domingo e durante a semana em um horário mais puxado e cheio de riscos.
    Afinal, se são vacinados por campanha como ela mesmo informou mais de 21mil cães e gatos de todos os tipos, raças, limpos, sujos,bravos, mansos etc. No sol, na chuva, com um lanche de pão de dog com uma fatia de presunto e queijo e um suco da pior qualidade para trabalhar por 12h seguidas, na melhor intenção de atender toda a população, da melhor forma possível.
    Não é certo pedir mas não me nego em colaborar com um "CAFEZINHO", pois nós verdadeiros cidadãos devemos reconhecer os serviços que nos prestados e que sabemos são mal remunerados, e poderia comtribuir para outros como policiais etc..mas vc não acha que eles também tem os "cafezinhos deles". Sim quando eu for questionar uma atitude publica eu irei direto na fonte....Governantes...eles sim são os responsaveis pelo assalto feito em nós, pois se eles não desviassem as verbas e pagassem dignamente os funcionários, não haveria necessidades de se humilharem aceitado 1 real que um contribuinte desejasse doar.
    Volto a dizer concordo que eles não devem pedir, mas eu concordo que podemos ter a consciencia e quem deseja que fazer a doação não acho errado.

    ResponderExcluir

Escreva seu comentário abaixo e clique em "Nome" no Perfil (não é necessário colocar a URL).