24 de out de 2009

CURTA SP: ASSISTA “CACHORRO LOUCO”

Curta SP

Semanalmente, exibiremos no blog um curta-metragem do Porta Curtas, um projeto bem legal patrocinado pela Petrobras para difusão de curtas pela internet. Produções que, de alguma forma, tenham relação com São Paulo estão no foco das exibições aqui.

Porém, queremos compartilhar também curtas documentais, ficcionais ou experimentais de outros lugares, como os do projeto Som da Rua, de Roberto Berliner, que registrou as manifestações artísticas nas ruas do Brasil e mundo afora.

Abrindo o Curta SP, Cachorro Louco (2003), documentário de César Meneghetti - “uma visão especial da cidade de São Paulo e de seus habitantes através da vida quotidiana e da perspectiva, em paralelo, dos motoboys, dos passantes e do dia a dia de RATINHO”.

CACHORRO LOUCO

Gênero Documentário
Diretor César Meneghetti
Ano
2003
Duração 6 min
Cor Colorido
Bitola Vídeo
País Brasil
Local de Produção: SP

Ficha Técnica
Fotografia
César Meneghetti Roteiro Elisabetta Pandimiglio Edição César Meneghetti Trilha original Subavsmau, Suryalab, Tiberio Pandimiglio, Baque Bolado Empresa produtora Mares produções Assistente de Direção Elisabetta Pandimiglio, Fábio de Almeida Produção Executiva Ludmila Ferolla Argumento César Meneghetti Finalização Olivud Roma Continuidade AnnaMaria Laracca Pós-produção B&W Films Patrocínio Petrobras

Um comentário:

  1. "... se nóis num vira motoboy, vai virá la~drão!"
    Esta frase de Um dos enetevistados acaba exemplificando e muito! Eu não vou virar ladrão nunca, e tenho consciência disso, mesmo não me tornando um motoboy! Agora, o buraco é bem mais em baixo, uma faca de dois gumes! O sistema semeia tudo isso e, também, se alimenta de tudo isso... um "cachorro louco" a menos, morto num acidente, um problema a menos no todo social, mais uma forma de eliminação social natural - se é que podemos chamar de natural!!! As autoridades não fazem jus às atribuições que o poder lhes confere para promoverem um trabalho justo e sério dirigido para esse problema dos motoboys. E quam paga por isso, também, somos nós, motoristas de automoveis! Já tive o desprazer de ter tido sérios problemas com esses tais "cachorros loucos", muito sérios mesmo! Mas também sei que não se pode incorrer na generalização, pois existem (e muitos) motoqueiros que circulam por aí com respeito por sí e pelo próximo, pela vida!!! As autoridades deveriam ser bastante austeras para conferirem uma carta a gente que, de repente, não tem o menos preparo emocional para dirigir uma moto e, o pior de tudo, lidarem com o fator tempo X dinheiro, pois normalmente eles são levados a trabalhar contra o tempo, e aí é que começa essa novela maldita... velocidade, infrações, desrespeito... e tudo fruto de um sistema capitalista falido!!! O buraco é realmente mais em baixo, e sou obrigado a convergir para bem longe dele, infelizmente, e espero não ser mais uma vítima desses falsos motoboys, desses caras que nada tem a ver com essa profissão e acabam emporcalhando o real valor das pessoas sérias que fazem parte dessa categoria!!!
    "Mas não tem nada, não, tenho meu violão!" (Chico Buarque de Hollanda)
    VAMOS COBRAR A QUEM PRECISA SER COBRADO, AS AUTORIDADES!!!

    The Osmar

    ResponderExcluir

Escreva seu comentário abaixo e clique em "Nome" no Perfil (não é necessário colocar a URL).