9 de mar de 2009

FALTA SEGURANÇA NAS OBRAS PAULISTANAS

SOS São Paulo – A cidade em nossas mãos

Sem qualquer segurança, operário se equilibra a cinco de metros
de altura para demolir imóvel no centro

Demolição de imóvel na rua Rêgo Freitas (centro), realizada pela empresa FBI sem qualquer segurança. Foto: Gladstone Barreto. Clique para ampliarDemolição de imóvel na rua Rêgo Freitas (centro), realizada pela empresa FBI sem qualquer segurança. Foto: Gladstone Barreto. Clique para ampliarDemolição de imóvel na rua Rêgo Freitas (centro), realizada pela empresa FBI sem qualquer segurança. Foto: Gladstone Barreto. Clique para ampliarDemolição de imóvel na rua Rêgo Freitas (centro), realizada pela empresa FBI sem qualquer segurança. Foto: Gladstone Barreto. Clique para ampliarDemolição de imóvel na rua Rêgo Freitas (centro), realizada pela empresa FBI sem qualquer segurança. Foto: Gladstone Barreto. Clique para ampliarDemolição de imóvel na rua Rêgo Freitas (centro), realizada pela empresa FBI sem qualquer segurança. Foto: Gladstone Barreto. Clique para ampliarDemolição de imóvel na rua Rêgo Freitas (centro), realizada pela empresa FBI sem qualquer segurança. Foto: Gladstone Barreto. Clique para ampliarDemolição de imóvel na rua Rêgo Freitas (centro), realizada pela empresa FBI sem qualquer segurança. Foto: Gladstone Barreto. Clique para ampliar  

Nos fins de semana, quando o comércio está fechado na capital paulista, é comum observarmos obras para todo canto, desde simples pinturas de fachada até a demolição de imóveis, como é o caso deste na rua Rêgo Freitas, próximo ao cruzamento com rua Santa Isabel (Vila Buarque – centro).

Também não é novidade a enorme falta de segurança e os riscos que correm os operários desses serviços. Na construção de grandes prédios, a organização e fiscalização são maiores (e ainda assim os acidentes acontecem). Porém, nesses trabalhos “menores”…fica a Deus dará mesmo. Quem vai olhar uma coisa dessas em pleno domingão, não é verdade?

No último domingo (08.03), vimos dois homens no alto de um imóvel de dois andares, de marreta em punho, sem capacete, cintos ou qualquer outro tipo de equipamento de proteção individual – o famoso e pouco utilizado EPI.

Do alto (entre 5 e 6 metros) na “mão grande”, com se diz no nordeste, eles quebravam o imóvel e se equilibravam nas vigas do que restava do telhado.

Como se não bastasse o risco de duas pessoas despencarem imóvel abaixo, no solo, o isolamento está completamente precário, mal sinalizado e fora das normas de segurança que determinam um espaço para passagem de pedestres.

Algumas pessoas atravessaram pelo outro lado da rua e outras se arriscavam duplamente: de um lado, os carros da Rêgo Freitas; do outro, pedaços do imóvel caindo (vejam a poeira nas imagens).

Vamos procurar a empresa responsável, uma tal FBI, e ver se eles se manifestam. Mas é impossível não fazer uma perguntinha básica: quem fiscaliza isso? Será alguém da Delegacia Regional do Trabalho, sindicato da categoria? Seja lá quem for o responsável – vamos descobrir - faz tempo que algum deles não circula por São Paulo.

Observamos casos semelhantes com frequência, mas este foi o primeiro que tivemos oportunidade de fotografar. O que será que a demolidora FBI vai explicar? Aguardem…

Vejam outras imagens no FLICKR

Leia também:
RESPOSTA DA FBI DEMOLIDORA

Texto/fotos: Flaviana Serafim e Gladstone Barreto

3 comentários:

  1. Eu passei por esse local no domingo e fiquei surpresa também. Estava de carro e fiquei no meio dessa fumaça. Agora é tarde porque isso tudo já deve estar no chão hoje.

    ResponderExcluir
  2. Esse tipo de obra acontece sempre assim:
    A pessoa precisa de uma mão de tinta na loja. Pergunta pro zelador do prédio se conhece alguém. O zelador tem um cunhado e um primo que estão desempregados mas já foram pedreiros em algum lugar. Pronto.
    Eles foram pedreiros mas sabem pintar.
    As tintas e o material pela conta do cliente mais mão de obra tanto.
    Agora imagina demolir uma fachada - solzaço de domingo: cachaça, mermão, cachaça!

    ResponderExcluir
  3. Flavio Luis Mertillo11 de março de 2009 10:58

    Onde esta a passagem de pedestres!? que absurdo!??

    ResponderExcluir

Escreva seu comentário abaixo e clique em "Nome" no Perfil (não é necessário colocar a URL).