21 de out de 2009

O DESAFIO DE LEONARDO FEDER NAS RUAS DE SÃO PAULO

Cidadania, inclusão e meio ambiente

Leonardo Feder na Rua Tomas Carvalhal, bairro do Paraíso

Guias não rebaixadas, buracos, entulho e rampas íngremes são alguns dos obstáculos enfrentados pelos cadeirantes
nas ruas e calçadas da cidade.

Tudo isso sem contar a falta de acesso ao transporte coletivo, táxis, escolas, bancos, empresas e imóveis devidamente adaptados às pessoas com deficiência.

Nas imagens abaixo, o desafio cotidiano do jornalista
Leonardo Feder, 24, para fazer algo simples:
se locomover e ter uma vida normal em São Paulo.


Leia também:
“SER CADEIRANTE EM SÃO PAULO É UM DESAFIO”
”PESSOA COM DEFICIÊNCIA” NÃO É “DEFICIENTE”
CAMINHO TORTUOSO ATÉ A PAULISTA

 

Dezenas de buracos estão entre os obstáculos enfrentados pelos cadeirantes. Foto: Leonardo FederDezenas de buracos estão entre os obstáculos enfrentados pelos cadeirantes. Foto: David FederAlém dos buracos, entulhos também prejudicam a circulação. Foto: David FederCadê a guia rebaixada? Foto: David FederAlém de dificultar a locomoção, ausência de guias rebaixadas são um risco para o cadeirante. Foto: Leonardo FederRampas íngremes: outra dificuldade e risco para os cadeirantes. Foto: Leonardo FederRampas íngremes: outra dificuldade e risco para os cadeirantes. Foto: David FederRampas íngremes: outra dificuldade e risco para os cadeirantes. Foto: David FederRampas íngremes: outra dificuldade e risco para os cadeirantes. Foto: David Feder

Texto: Flaviana Serafim – Fotos: Leonardo Feder e David Feder

3 comentários:

  1. Que coisa. Meu Deus

    ResponderExcluir
  2. Estou nessa luta há + de 40 anos, atualmente ando de muletas, mas ja usei cadeira de rodas e sempre foi assim. Hoje em dia se fala muito em inclusão e acessibilidade... como disse, se fala... pergunta pro deficiente o que ele tem encontrado na prática...
    Participo do Conselho Municipal de Defesa das Pessoas Portadoras de Necessidades Especiais em minha cidade (Atibaia) e mesmo assim não me sinto amparado, muito menos defendido. Em 5 anos de participação, 2 dos quais como vice-presidente, não consegui sequer a pintura de uma vaga prá deficiente em frente a escola em que estudava. Melhor parar por aqui, esse assunto me causa irritação... só entrei prá cumprir a promessa que fiz a minha estimada amiga de longa data, Neide.
    Beijos a todos.
    joão.

    ResponderExcluir
  3. Numerando, da esquerda pra direita, de cima para baixo... quais fotos você consegue transpassar sozinho com sua cadeira motorizada?
    Estou com muitas dúvidas sobre a capacidade da cadeira de passar esses obstáculos deploráveis e tão simples de resolver.
    Agradeço demais a ajuda!

    Abraços

    ResponderExcluir

Escreva seu comentário abaixo e clique em "Nome" no Perfil (não é necessário colocar a URL).